Sexta, 01 Outubro 2021 17:15

Audiência Pública para ouvir o Sistema FAAP/AGAP Destaque

Avalie este item
(1 Votar)

Piazza lamenta revogação do artigo 57, da Lei Pelé e pede que injustiça seja corrigida. 

aud3

O Sistema FAAP/AGAP solicitou e foi ouvido na Câmara dos Deputados, em audiência pública, realizada nesta quarta-feira (29/09). 

O presidente do Sistema FAAP/AGAP, Wilson Piazza, participou, presencialmente, da audiência pública, requerida pelo deputado Federal Beto Pereira (PSDB/MS), na Câmara dos Deputados.

Com Piazza, estiveram o superintendente Márcio Tannús de Almeida e Dirceu Lopes e virtualmente, o diretor Júlio Lirio e o vice-presidente Paulo Henrique Miotti de Oliveira. A audiência também contou com as presenças de Lícia Cavalcante Lima, esposa do ex-atleta profissional de futebol Mailson Souza Duarte e Ingrid Sacramento de Oliveria Souza, filha do ex-atleta Regivaldo José de Souza. Os dois ex-atletas são assistidos pelo Sistema FAAP, por meio da AGAP/BA. 

O encontro, agendado especificamente para ouvir os representantes do Sistema, teve duração de duas horas, com a exposição de todo o trabalho realizado há quase 50 anos, em prol de atletas e ex-atletas profissionais.

A audiência teve início com as palavras do presidente Piazza, que parabenizou as comissões Especial e de Esporte pelo trabalho e agradeceu a oportunidade de falar em nome de atletas e ex-atletas que necessitam de assistência.

Piazza relatou o início do sistema, quando em 1974, junto com outros atletas, reivindicou ao governo da época a criação de mecanismos e alternativas de amparo e qualificação no pós-carreira, o que resultou na a edição da Lei 6.269/75 que instituiu o Sistema de Assistência Complementar Ao Atleta Profissional.

Piazza destacou as leis que, a partir de então, surgiram tratando do tema, passando pela Lei Zico, Lei Maguito, Lei Pelé, entre outras até culminar na mais recente, publicada em janeiro deste ano, a Lei  14117/21, que revogou, por completo, o artigo 57, da Lei Pelé (Lei 9.615/98), extinguindo a assistência complementar socioeducacional. “Diante desse quadro, esta lei impôs à FAAP e às AGAP, hoje implantadas em dezesseis estados e DF, o fim de suas atividades, eliminando o único mecanismo de assistência socioeducacional em todo território nacional”, destacou.

O presidente lamentou o fato, observando que uma imensa quantidade de atletas e ex-atletas ficará sem o atendimento, caso a situação não seja corrigida. “O futebol é visto por grande parte da população como uma das poucas oportunidades de ascensão econômica e social, mas a realidade é que um percentual ínfimo consegue sucesso financeiro, restando à maioria depender de assistência no fim de suas carreiras”, disse Piazza.

Ao final de sua fala Piazza informou que tanto a diretoria da FAAP quanto a das AGAP em todos os estados realizam trabalho voluntário, nenhum membro recebe salário a qualquer título e conclamou aos parlamentares que acolham as emendas de nº 1 e 4, dos deputados Beto Pereira e Renildo Calheiros, ao PL 1153/19, para que o Sistema possa reaver a fonte de recursos para dar continuidade aos atendimentos.

RELATÓRIO DE ATENDIMENTOS  

ÍNTEGRA DA AUDIÊNCIA PÚBLICA/

COMISSÃO OUVE FAAP EM AUDIÊNCIA PUBLICA/ 

FAAP APRESENTA NUMERO DE ATENDIMENTO À COMISSÃO/ 

INTEGRANTES DO SISTEMA DESTACAM IMPORTÂNCIA DO ATENDIMENTO AOS ATLETAS E EX-ATLETAS PROFISSIONAIS/

 Acesse depoimentos de ex-atletas VIDEO AQUI!/

EMOÇÃO MARCA A AUDIÊNCIA PÚBLICA/

PARLAMENTARES APOIAM A FAAP/ 

Parlamentares se reúnem na sede da FAAP

 

 

Compartilhar Notícia

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to Twitter