Atenção

JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 21

Quarta, 16 Outubro 2013 11:53

Representantes de clubes e federações querem renegociação das dívidas

Avalie este item
(1 Votar)

alt16/10/2013 - A Comissão de Turismo e Desporto, da Câmara dos Deputados, realizou na tarde desta terça-feira (15/10), Audiência Pública para debater as dívidas tributárias dos clubes de futebol o financiamento dos clubes que disputam as séries B, C e D. O autor do requerimento foi o Deputado Deley Alves, presidente da AGAP/RJ.

O presidente do Sistema FAAP/AGAP, Wilson Piazza foi representado pela Assessora de Comunicação, Dida Brasil.

As dívidas fiscais dos clubes de futebol somam aproximadamente R$ 4,8 bilhões e os representantes de times voltaram a pedir aos parlamentares um projeto para o parcelamento dos débitos e reestruturação da Timemania.

Durante a explanação, os representantes de clubes frisaram que não querem o perdão da dívida, buscam a renegociação. "Entendo que os clubes não precisam de perdão, de anistia, de nenhum tipo de favor. O futebol hoje é uma atividade geradora de recursos e os clubes de futebol do Brasil são autossuficientes para pagar seus serviços. O que precisa é de um choque de gestão", ressaltou o presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Melo.

O presidente do Vasco, Roberto Dinamite afirmou que "o que buscamos é resgatar não só a confiança e a credibilidade, mas acima de tudo cumprir nossas obrigações".

Na ocasião, o presidente do Coritiba, Vilson Ribeiro de Andrade, representando a CBF entregou documento contendo proposta dos 20 clubes da Série A, na qual consta que querem pagar a dívida, mas precisam de prazo para efetuar o pagamento.alt

No documento apresentado, os clubes propõem que a Timemania seja reestruturada para a inclusão de dívidas contraídas após 2007, quando foi iniciado o projeto. Com a nova consolidação dos débitos, os times passariam a destinar mensalmente um percentual de todas suas receitas para o pagamento das dívidas. Clubes que não puderem ou optarem por não participar teriam suas dívidas parceladas com prazos a serem negociados.

Na proposta, a CBF implementaria o chamado Fair Play Financeiro, em que os clubes que não apresentarem Certidão Negativa de Débito (CND) seriam impedidos de disputar as competições oficiais. Sanções como perda de pontos também seriam aplicadas aos times que não apresentarem Certidão a cada três meses ou por atrasos no pagamento de jogadores e funcionários.

O deputado Deley Alves lembrou quanto o Governo já anistiou de dívidas. "O Congresso aprovou anistia para agricultores, para Santas Casas, para ensino universitário. O que este país já socorreu de bancos na história é um absurdo. Mas porque quando se fala no futebol a pancada come? Não podemos ter medo de dizer que estamos vivendo um momento extremamente crítico. De uma coisa tenho certeza, precisamos resolver a situação dos clubes de futebol".

Também participaram da Audiência o ex-presidente do Vasco, Eurico Miranda, que defendeu os times de menor expressão, e representantes da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, da Caixa Econômica Federal, da Fundação Getúlio Vargas e presidentes de 50 clubes de futebol e federações. 

 

 

ASCOM FAAP-AGAP.

 

 

Compartilhar Notícia

Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to Twitter